Publicado en línea el Martes 15 de septiembre de 2020, por Metropoles

Um levantamento realizado pelo Insper aponta que, a depender da profissão, um homem branco chega a receber mais que o dobro do que a mulher negra para realizar o mesmo trabalho. Assim, mesmo em casos de funções que exigem diploma de ensino superior, ainda não há uma inserção justa das mulheres negras no mercado de trabalho no Brasil. As informações são do G1.O levantamento apurou o salário por raça e gênero e fez o detalhamento para cinco profissões: engenheiros e arquitetos, médicos, professores, administradores e cientistas sociais. Em todas elas, constatou-se que as mulheres negras recebem menos que os homens, sejam brancos ou negros, e que as mulheres brancas.Beatriz Ribeiro, Bruno Komatsu e Naercio Menezes Filho foram os pesquisadores do Insper que realizaram o estudo. Eles utilizaram como base os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2016 e 2018.Mais sobre o assuntoBrasilOIT: mulheres ganham 17% menos por hora que homens na América LatinaRelatório da OIT também revela que mulheres se ocupam de 80% das tarefas domésticasFutebolMulheres da seleção americana ganham seis vezes menos que os homensFederação dos Estados Unidos se defende dizendo que a disparidade no pagamento entre os gêneros começa com a FifaDistrito FederalDF: mulheres ganham menos do que homens em 8 de cada 10 funçõesLevantamento da plataforma Quero Bolsa apontou que a diferença salarial entre elas e eles passou de R$ 878, em 2018, para R$ 967, em 2019A medicina apresentou um dos maiores abismos salariais. Entre os formados em universidades públicas, as mulheres negras têm um salário médio de R$ 6.370,30, enquanto os homens brancos recebem R$ 15.055,84. Já no grupo de médicos que cursou faculdades particulares, a remuneração é de R$ 3.723,49 e R$ 8.638,78, respectivamente.Em ciências sociais, a diferença é também muito grande. Um homem branco que se formou em universidade pública recebe R$ 8.814,o5 enquanto uma mulher negra com a mesma formação tem salário de R$ 4.141,69.“Mesmo entre os que estão na mesma profissão, sempre há um diferencial alto de salário em função da cor ou do sexo, em que os homens brancos estão sempre ganhando mais” afirma Naercio Menezes Filho ao G1.Média salarialLevando em conta todas as profissões, a pesquisa revela que, no Brasil, uma mulher negra com diploma universitário de instituição pública recebe em média R$ 3.047,51, enquanto as que cursaram universidade privadas têm remuneração média de R$ 2.902,55.Já no topo da lista de remuneração, homens brancos formados em instituições públicas recebem em média R$ 7.891,78 e os que possuem diploma em universidades privadas tem salário médio de R$ 6.628.74. Ou seja, existe uma diferença em relação às mulheres negras de 159% e 128%, respectivamente.

Fonte: Metropoles

The post No mesmo cargo, homem branco chega a ganhar até 169% mais que mulher negra appeared first on Adital .


[ Imprimir este artículo ] [ Enviar a un amigo ] [ Ir a la cabecera ]
 

 
 

   APPS

   ASIA

   DEMOCRACIA

   DERECHOS HUMANOS

   DESARROLLO/GLOBALIZACIÓN

   DIÁLOGO NORTE-SUR

   ECOLOGÍA VS ECONOMÍA

   ENLACES - LINKS

   ESTADÍSTICAS

   EUROPA

   LATINOAMÉRICA

   OLVIDADOS POR LA HISTORIA

   SOLIDARIDAD

   TRIBUNA LIBRE



LISTA DE CORREO


�Desea participar al enrequecimiento de esta p�gina?

�Quiere denunciar alguna situaci�n?

Env�enos su art�culo a esta direcci�n de correo electr�nico:

   webmaster@respublicae.org

[ Mapa del sitio ] [ Ir a la cabecera ]

 


 
En la misma sección

Leer otros artículos :
Le pétroyuan est le grand pari de la Russie et de la Chine, par Ariel Noyola Rodríguez
15/07/16 - â€ËÅ“Migrantes construyendo alternativas frente al desorden y la crisis global del capitalâ€â„¢
Movilización ciudadana contra la “Ley Mordaza” el próximo sábado 17 de marzo
03/08/16 - FIDEL, 90 AÑOS
Discours d’installation du Haut Conseil pour le Climat, par Emmanuel Macron
Un nuevo fallo de la justicia argentina reabre la esperanza para las víctimas del franquismo
Marruecos y Sáhara Occidental: Las denuncias de tortura siembran dudas sobre el juicio
Grupo Now United anuncia nova integrante: conheça Nour Ardakani
Construção civil: ecossistema de negócios para fortalecer empresas do setor
Alep-Est & Mossoul, par Thierry Meyssan

EN LA RED :
Campagne médiatique antichinoise organisée par l’Australie
Londres a organisé des attaques contre Moscou (Lord Sedwill)
Qu’est-ce qui intéresse les Russes dans la guerre du Haut-Karabagh ?, par Valentin Vasilescu
Covid : un couvre-feu pour quoi faire ?, par Thierry Meyssan
Selon Washington, c’est l’Azerbaïdajan qui ne respecte pas le cessez-le-feu
Ilham Aliyev : « Il n’y aura pas de référendum [au Karabagh], jamais ! »
L’Arménie et l’Azerbaïdjan sont les perdants et les États-Unis les grands gagnants, par Valentin Vasilescu
Karabagh : la Grèce, la Russie et la Turquie se préparent à entrer en guerre

[ Ir a la cabecera ]
 

Portada En breve Mapa del sitio Redacci�n


Respublicae.Org es un portal abierto que se nutre de los trabajos de muchos colaboradores ben�volos externos, de diferentes origen e ideolog�a. Por lo tanto, los administradores de este portal no se hacen responsables de las opiniones vertidas en los art�culos que aqu� se publican.
Copyright © RESPUBLICAE.ORG 2003-2007
Sitio web desarrollado con SPIP, un programa Open Source escrito en PHP bajo licencia GNU/GPL.
Dise�o © Drop Zone City & Respublicae.Org