Publicado en línea el Lunes 21 de septiembre de 2020, por MoneyTimes

A terceira maior processadora de cacau do mundo é capaz de rastrear todo o cacau em sua cadeia de suprimentos direta em nove países até uma fazenda individual, comunidade ou primeiro ponto de compra (Imagem: REUTERS/Thierry Gouegnon)

A gigante de cacau Olam International agora pode rastrear o fornecimento da maioria dos grãos que compra, intensificando esforços de sustentabilidade diante da maior pressão de clientes e governos para saber de onde vêm os alimentos e se foram produzidos de forma ética.

A terceira maior processadora de cacau do mundo é capaz de rastrear todo o cacau em sua cadeia de suprimentos direta em nove países até uma fazenda individual, comunidade ou primeiro ponto de compra, onde um agricultor ou cooperativa é pago, disse Gerry Manley, responsável pela unidade de cacau da Olam. Isso representa cerca de 60% dos grãos que a operadora com sede em Cingapura adquire, ou 12% do cacau mundial.

A mudança ocorre em um momento em que a União Europeia planeja implementar legislação que poderia responsabilizar empresas por abusos de direitos humanos e danos ambientais em suas cadeias de abastecimento.

Nos EUA, congressistas propuseram proibir importações de cacau produzido com mão de obra infantil. A rival Barry Callebaut começou a divulgar neste mês cooperativas e estações de compra das quais adquire cacau diretamente em três países da África Ocidental.

“A rastreabilidade é realmente a chave para desvendar muitos dos problemas que temos hoje, seja trabalho infantil, desmatamento ou saber sobre questões de pobreza e educação”, disse Manley em entrevista.

“Somente por meio da ação e regulamentação de governos conseguiremos realmente um sistema pelo qual todo o cacau será rastreável.”

A Olam usa tecnologia para rastrear cerca de 600 mil toneladas de cacau em países como Costa do Marfim, Indonésia, Nigéria e Brasil. Embora rastreie algumas compras em Gana, é mais difícil controlar toda a cadeia de custódia por causa do sistema centralizado do país no qual um regulador vende e despacha os grãos, disse Manley. A Olam também não consegue rastrear o que compra de parceiros.

“Faremos mais com o tempo, tenho certeza disso, já que outros fornecedores também obtêm cacau rastreável em suas cadeias de suprimentos”, disse Manley, acrescentando que as parcerias público-privadas são necessárias para atingir toda a cadeia.

O desmatamento tem sido uma questão urgente para o setor: a área florestal na Costa do Marfim, o maior produtor, encolheu mais de 80% desde 1960, para 3 milhões de hectares em 2018. Um relatório recente da International Cocoa Initiative também destacou que cerca de um em cada três menores de idade em áreas de cultivo de Gana e Costa do Marfim são afetados pelo trabalho infantil.

Fonte: MoneyTimes

The post Gigante de cacau agora rastreia maioria dos grãos comprados appeared first on Adital .


[ Imprimir este artículo ] [ Enviar a un amigo ] [ Ir a la cabecera ]
 

 
 

   APPS

   ASIA

   DEMOCRACIA

   DERECHOS HUMANOS

   DESARROLLO/GLOBALIZACIÓN

   DIÁLOGO NORTE-SUR

   ECOLOGÍA VS ECONOMÍA

   ENLACES - LINKS

   ESTADÍSTICAS

   EUROPA

   LATINOAMÉRICA

   OLVIDADOS POR LA HISTORIA

   SOLIDARIDAD

   TRIBUNA LIBRE



LISTA DE CORREO


�Desea participar al enrequecimiento de esta p�gina?

�Quiere denunciar alguna situaci�n?

Env�enos su art�culo a esta direcci�n de correo electr�nico:

   webmaster@respublicae.org

[ Mapa del sitio ] [ Ir a la cabecera ]

 


 
En la misma sección

Leer otros artículos :
Bolsonaro sanciona LGPD que entra em vigor hoje (18)
Activistas de todo el mundo exigen protección para los gais en Chechenia
Internacional: La lucha contra la mutilación genital femenina consigue el respaldo de la ONU
May dément les accusations contre le GCHQ, mais en change le directeur
13/06/16 - Las máscaras: Estudiantes versus autoridades Universitarias (IHU/Adital)
Nubank anuncia a aquisição da corretora Easynvest
Raphaël Glucksmann contre François Fillon
Susan Rice a fait placer sous écoutes l’équipe de Donald Trump
30/07/14 - ONGs podrán inscribirse para integrar Consejo Gestor de los Derechos Difusos
12/05/16 - Infecunda

EN LA RED :
L’armée britannique contre les argumentaires anti-vaccin (The Times)
Retour triomphal d’Evo Morales en Bolivie
Le directeur de l’OMS, accusé de trafic d’armes
Les euromissiles nucléaires reviennent, par Manlio Dinucci
Continuation des réseaux Stay-Behind de l’Otan au Danemark
Joe Biden annonce le retour du libre-échange
Un compte Facebook non-officiel de Thierry Meyssan a été piraté
Le tiers de l’équipe de transition de Biden provient du complexe militaro-industriel

[ Ir a la cabecera ]
 

Portada En breve Mapa del sitio Redacci�n


Respublicae.Org es un portal abierto que se nutre de los trabajos de muchos colaboradores ben�volos externos, de diferentes origen e ideolog�a. Por lo tanto, los administradores de este portal no se hacen responsables de las opiniones vertidas en los art�culos que aqu� se publican.
Copyright © RESPUBLICAE.ORG 2003-2007
Sitio web desarrollado con SPIP, un programa Open Source escrito en PHP bajo licencia GNU/GPL.
Dise�o © Drop Zone City & Respublicae.Org